IBM – anuncia Cinco previsões para os próximos Cinco anos

A gigante tecnológica norte-americana acaba de anunciar cinco previsões para os próximos cinco anos. As passwords e o spam têm os dias contados. Será possível controlar o telemóvel com a mente, assegura.

Em 2016 será cada um produzirá a sua própria energia, não necessitaremos de palavras-chave (passwords), ler a mente já não será ficção científica, a exclusão digital e o lixo eletrónico deixarão de existir. É assim que gigante tecnológica norte-americana IBM vê o mundo dentro de cinco anos.

Estas previsões constam da sexta edição da iniciativa “IBM 5 em 5 “, no âmbito da qual a multinacional apresenta cinco inovações que na sua perspetiva a “vão mudar a forma como as pessoas trabalham, vivem e se divertem” nos próximos cinco anos. Mas vamos por partes.

Começando por constatar que “até mesmo a água que corre nos canos das nossas casas podem gerar energia”, a IBM garante que “o avanço da tecnologia no campo das energias renováveis vai permitir armazenar energia a partir de pequenos dispositivos e usá-la depois nas nossas casas, locais de trabalho e cidades”. Conclusão: lá para 2016 “produziremos a nossa própria energia”.

No futuro, também deixaremos de precisar de palavras-chave (passwords) já que, “as nossas características biológicas em pouco tempo tornar-se-ão a chave para salvaguardar a nossa individualidade”. Segundo a IBM “as características faciais, a leitura da retina e os arquivos de voz serão transformados num software que permitirá criar a nossa própria password através do ADN.” Conclusão: será possível “efetuar operações no Multibanco proferindo simplesmente o nosso nome ou olhando para uma câmara”. Mas há mais.

Controlar o telemóvel com a mente

Assegura esta empresa fundada há mais de 100 anos, que “os cientistas estão a estudar a melhor forma de ligar o nosso cérebro a alguns dispositivos, como um computador ou um smartphone, de forma que bastará pensar em algo, como por exemplo em ligar a alguém, para que isso aconteça”. Atualmente, informa, os cientistas já “começaram a desenhar auscultadores com sensores avançados para ler a atividade elétrica do cérebro, que podem reconhecer expressões faciais, os níveis de excitação e de concentração e pensamentos de outra pessoa sem que seja necessário fazer algo do ponto de vista físico”. Conclusão: ler a mente deixará se ser ficção científica.

Nas previsões da IBM, dentro de cinco anos, “tanto ricos como pobres terão acesso rápido e fácil a todo o tipo de informações devido aos avanços na tecnologia móvel e cada vez mais reduzido o  preço dos telemóveis“. Nos países emergentes, por exemplo, a tecnologia móvel será usada para proporcionar informações essenciais às populações, como as previsões do tempo. Conclusão: a exclusão digital deixará de existir.

A fechar a tecnológica norte-americana prevê que também o lixo eletrónico tem os dias contados. Explica a IBM que “os anúncios não solicitados que hoje enchem as nossas caixas de correio tornar-se-ão tão personalizados que até vai parecer que o spam (mensagens não solicitadas) deixou de existir”. Porquê? Porque “os sistemas serão capazes de filtrar e encontrar apenas os dados que são importantes e relevantes para nós, transmitindo-nos a informação que realmente precisamos sem que seja necessário procurá-la”.

Como tempo voa, estaremos para ver se será mesmo assim.

Expresso

  • Comentários  

    23/10/2017