Apple tem o cofre cheio mas não gasta

A empresa americana, fabricante do iPad, informou que seu caixa, inclusive papéis negociáveis de curto e longo prazos, para o trimestre terminado em 25 de junho aumentou 15,8% desde março, para US$ 76,2 bilhões. Isso é mais do que o produto interno bruto de 126 países, entre eles o Equador, a Bulgária, Sri Lanka e a Costa Rica, de acordo com dados do Banco Mundial.

A gigantesca reserva levou alguns investidores ontem a pedirem que a empresa de Cupertino, na Califórnia, use parte do dinheiro no pagamento de dividendos. “Se eles não conseguem encontrar maneiras de utilizá-lo para crescimento, então devem devolvê-lo aos acionistas”, disse Tim Ghriskey, chefe de investimentos da gestora de fundos Solaris Asset Management, que tem ações da Apple.

A Apple respondeu a um pedido de comentário, referindo-se a uma declaração do diretor-presidente Steve Jobs, em outubro passado. “Acreditamos fortemente que uma ou mais oportunidades altamente estratégicas podem surgir e podemos aproveitá-las porque estamos numa posição única por causa do nosso caixa reforçado”, disse.

A pilha de dinheiro posiciona a Apple à frente de uma série de grandes empresas tecnológicas que vêm acumulando caixa nos últimos anos. A Microsoft, por exemplo, tem hoje US$ 60,9 bilhões em caixa, incluindo investimentos de curto e longo prazos. A Google Inc. tem US$ 40 bilhões e a Cisco Systems Inc., US$ 44,2 bilhões.

Apple continua a crescer a taxas vertiginosas, alimentada pelas vendas de seu tablet iPad e celular iPhone. Na terça-feira, a empresa informou que sua receita no terceiro trimestre fiscal subiu 82% frente ao ano anterior.

Fonte: wsj

  • Comentários  

    29/05/2017