Hortolândia conquista mais duas Agências Bancárias

Caixa Econômica Federal instalará unidades nos bairros Rosolen e Jardim Amanda

Rosolem hortolândiaA cidade de Hortolândia ampliará a prestação de serviços bancários com a instalação de duas agências da CEF (Caixa Econômica Federal) . O anúncio das novas agências foi feito pelo superintendente regional da CEF, Paulo José Galli, terça-feira (06), durante assinatura do contrato com a Prefeitura para construção de 600 unidades habitacionais do Programa Minha Casa Minha Vida, realizado pelo governo federal.

Galli adiantou que as agências funcionarão nos bairros Amanda e Rosolen. “Até o final do ano que vem, as agências estarão em funcionamento para atender a população com qualidade”, festejou Galli, ao destacar o desenvolvimento econômico e social de Hortolândia. Atualmente, a CEF tem uma agência na Rua Luiz Camilo de Camargo, Centro.

De acordo com o secretário de Indústria, Comércio e Serviços, Marcelo Borges, aumentar a oferta de serviços à população de Hortolândia é uma das prioridades do governo na área econômica. “Nosso primeiro passo foi a atração de indústrias e empresas para a cidade. Agora, estamos concentrados na ampliação dos serviços à população. A conquista de novas agências bancárias faz parte desse empenho”, explicou Borges.

Nos últimos seis anos, o número de agências bancárias quase triplicou em Hortolândia: saltaram de cinco para 14, reflexo das políticas públicas eficientes que garantem o desenvolvimento econômico e social da cidade. E, o melhor, com postos de atendimento descentralizados.

“Quem ganha com isso somos nós, moradores, que podemos fazer tudo dentro da cidade, sem ir para municípios vizinhos como era antes”, comenta o aposentado Osvaldo Silva Pereira, morador do Jardim Rosolen, que pode utilizar agências dos bancos Bradesco, Santander e Itaú.

Para o prefeito Angelo Perugini, a instalação das agências da Caixa Econômica Federal fortalece a prestação de serviço no setor bancário e facilita a vida das pessoas que estão fora da região central. “Vivemos um momento de pleno desenvolvimento e ampliação dos postos bancários se torna necessária em todas as regiões da cidade”, afirma  Perugini.

NOVOS SERVIÇOS

Em 2005, existiam 231 indústrias na cidade, hoje, são 420. O PIB (Produto Interno Bruto) saltou de R$ 1,7 bilhão (em 2005) para R$ 5,5 bilhões (2010). O índice de desemprego caiu de 17,2% para uma média de 4% com a criação de mais de 20.000 postos de trabalho.

Com emprego e renda, o poder de compra dos moradores aumentou. Em 2005, a renda média per capta do trabalhador era de R$ 870, hoje é de R$ 2.000. O cenário econômico favorável é o principal chamariz para investidores do setor de comércio e serviços.

“Pesquisa de mercado indicou o alto poder de consumo de Hortolândia e a carência de novos serviços e comércios. Apostamos no desenvolvimento da cidade para instalar aqui o Shopping Hortolândia”, comentou o diretor da REP Centros Comerciais, empreendedora do shopping, Wilson Nogueira.

Outra conquista na área de serviços é a instalação do primeiro hotel de grande porte na cidade. O Drud´s Hotel, em construção no Parque Gabriel, investe no município de olho na vocação local para o turismo de negócios, reflexo do grande número de indústrias existentes no município.

“Sondamos por meio de uma empresa de consultoria o melhor local aqui na região para implantar o hotel. A pesquisa apontou Hortolândia com todas as condições de viabilidade. Esperamos que o lançamento do Drud´s Hotel seja um marco para a cidade”, disse o diretor do empreendimento, Fabrício Konno.

Hortolândia

  • Comentários  

    20/11/2017