Emprego em Hortolândia tem saldo Positivo

Hortolândia mantém geração de postos de trabalho e encerra o mês de novembro com 297 novas vagas, aponta Caged

Os setores de comércio e prestação de serviços de Hortolândia são os responsáveis pela criação da maior parte dos 297 empregos com carteira assinada registrada na cidade no mês de novembro. Neste período, o comércio gerou 133 vagas e o setor de serviços 135 postos de trabalho. O município já acumula 3065 empregos formais nos 11 meses do ano. Os dados foram divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) nesta semana.

De acordo com a Secretaria Municipal de Indústria, Comércio, Serviço e Turismo, a contratação de trabalhadores nos setores de comércio e serviços é reflexo da temporada de Natal, quando aumenta a demanda de consumo, e da inauguração do Shopping Hortolândia. A indústria e a construção civil foram as áreas que mantiveram saldo de emprego positivo em novembro, com a geração de 20 e 18 postos de trabalho, respectivamente.

Hortolândia registra o saldo positivo de 3.065 empregos formais de janeiro a novembro deste ano. É a segunda melhor média registrada pelo município desde 2005. A primeira foi verificada, no ano passado, quando foram criados 4.360 empregos.

O município é a segunda cidade da RMC (Região Metropolitana de Campinas) que mais gerou empregos formais em novembro deste ano. Em primeiro lugar aparece Campinas, com 728 novos postos de trabalho. Nove cidades da Região fecharam o mês de novembro com saldo negativo de vagas, reflexo da desaceleração da economia em nível nacional.

ECONOMIA EM ALTA

A evolução do emprego em Hortolândia é resultado da política de desenvolvimento econômico e social que combina incentivo fiscal para atração de novos empreendimentos, geração de emprego e renda, realizada, desde 2005, pelo prefeito Angelo Perugini.

Neste período, a cidade saiu de uma taxa de desemprego de 17,2% para uma média de 4%. O PIB (Produto Interno Bruto) aumentou de R$ 1,7 bilhão para R$ 5,8 bilhões. O poder de consumo da população também cresceu. Em 2005, a renda média familiar do hortolandense era de R$ 870, agora é superior a R$ 2.000,00.

Hortolândia

  • Comentários  

    29/06/2017