Construção do Shopping Hortolândia chega à fase final

Prefeito visita obras do primeiro centro de compras e lazer da cidade, que será inaugurado em outubro: 1.500 empregos.

A inauguração do primeiro shopping de Hortolândia já tem data marcada: 28 de outubro. O anúncio foi feito, nesta quarta-feira (20), pelo diretor operacional da REP Centros Comerciais, Wilson Nogueira, durante visita ao canteiro de obras do empreendimento realizada pelo prefeito Angelo Perugini. O Shopping Hortolândia consome investimentos de R$ 80 milhões e vai gerar cerca de 1.500 empregos quando entrar em operação. No final deste mês, os espaços locados começam a ser liberados para os lojistas. Centenas de operários trabalham, em ritmo acelerado, para finalizar a obra.

Durante a visita, Perugini reforçou o compromisso de asfaltar as três ruas que darão acesso ao centro de compras. A Prefeitura já realiza o prolongamento da rua Argolino de Moraes, interligando a rua Zacarias Costa Camargo (bairro Remanso Campineiro) à rua Alberto Gomes (Jd. das Paineiras), um dos acessos ao shopping. Nos próximos dias, a Secretaria de Obras dará início à pavimentação do prolongamento da rua José Camilo de Camargo com João Blumer e abrirá uma nova via de acesso às margens do Ribeirão Jacuba.

“O Shopping Hortolândia é mais uma conquista do nosso governo que consolida a emancipação de Hortolândia, por isso, apoiamos a instalação desse empreendimento. Vai aquecer o comércio, garantir mais emprego, renda e opção de lazer dentro da nossa cidade. A partir de outubro, as pessoas poderão utilizar de todos os serviços de um shopping sem sair da cidade. Isso também é qualidade de vida”, valorizou o prefeito.

O projeto do Shopping Hortolândia, em execução pela REP, prevê 120 lojas (110 satélites, quatro âncoras, cinco megalojas e um hipermercado), quatro salas de cinema em formato stadium, da rede Cine System, e estacionamento com capacidade para aproximadamente 700 veículos. A praça de alimentação do Shopping Hortolândia terá 22 pontos gastronômicos.

De acordo com o diretor operacional da REP, até o final deste mês os lojistas começarão a ocupar os espaços locados. O primeiro será o hipermercado Walmart, depois as lojas âncoras e, por fim, as satélites. “Já comunicamos aos lojistas a data de inauguração do shopping. Estamos em contagem regressiva para abrir as portas à população de Hortolândia e cidades vizinhas”, comentou Nogueira.

Localizado numa área de 40 mil m², entre as principais ruas do comércio da região central (Luis Camilo de Camargo, José Camilo de Camargo e João Blumer), o Shopping Hortolândia será um extensão do comércio de rua. Outra vantagem é que o Centro de Compras será integrado às futuras instalações do parque sociambiental, às margens do Ribeirão Jacuba, com ampla área verde e espaços de lazer à comunidade. “Estamos finalizando a canalização do ribeirão e daremos início à implantação do parque. Trabalhamos para concluir as duas ações o mais rápido possível”, informou o secretário de Obras, Marcelo Zanibon, que acompanhou o prefeito na visita ao Shopping.

Mais de 90% do espaço locável já está comercializado, segundo a REP. Entre as grandes redes varejistas confirmadas estão Walmart, Marisa, C&A, Lojas Americanas, Macdonald´s, CVC, Book Store, American Shoes, Uniflora, Zig Zag Play, Mônica Sanchez, Subway, Griletto, Casa do Pão de Queijo, Brasil Cacau, Bij Blazi, Chinelos e Tal, Delícias Flamy e Samara Modas.

“O Shopping Hortolândia é da categoria shopping de comunidade, suficiente para atender a cidade sem deixar nada a desejar. Teremos grandes redes, franquias e também lojistas locais. Estamos numa ótima localização, perto do centro comercial, a economia da cidade está em expansão, uma coisa ajuda a outra. Apostamos no potencial de Hortolândia. Vamos gerar mais receita, renda e ampliar o volume de negócios no município”, observou Nogueira.

Economia em alta, vitrine para negócios

De acordo com o prefeito Angelo Perugini, o crescimento econômico e social de Hortolândia permitiu a evolução no potencial de consumo da população, o que atrai grandes redes varejistas para a cidade. É de olho no aumento do poder de compra, principalmente da classe c, que o shopping investe na cidade.

Nos últimos seis anos, a Prefeitura criou cerca de 20.000 postos de trabalho. A taxa de desemprego despencou de 17,2% da PEA (População Economicamente Ativa) para 4%. O PIB (Produto Interno Bruto) saltou de R$ 1,7 bilhão para R$ 5,8 bilhões. A renda média familiar dos moradores aumentou de R$ 870 para R$ 2.000.

“Nossa cidade apresenta um crescimento econômico superior a 20% ao ano e um alto índice de empregabilidade. Somos a cidade média que mais cresce no País, então, os investidores enxergam Hortolândia como uma cidade de alto potencial de consumo”, disse o prefeito.

Para o presidente da Aciah (Associação Comercial e Industrial de Hortolândia), Paulo Beleboni, o shopping fortalecerá o comércio da região central que, a cada dia, amplia a oferta de produtos e serviços ao cidadão. “Com o centro de compras, o comércio de rua será valorizado. Também é uma oportunidade de novos negócios para nossos lojistas”, acredita Beleboni.

De acordo com a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers), cidades do interior com mais de 150 mil habitantes, caso de Hortolândia, são o novo alvo de investidores em shopping centers por causa do crescimento de consumidores com o avanço da classe C. O Shopping Hortolândia terá capacidade para atender 600.000 pessoas ao mês, o que significa a circulação de 20.000 consumidores, por dia, no centro de compras e lazer.

Veja este vídeo e confira como vai ficar o Shopping Hortolandia


  • Comentários  

    25/04/2017