Governo discute investimentos para a Copa e as Olimpíadas

O ministro do Esporte, Orlando Silva, disse hoje (10), ao participar de conferência para debater os investimentos em infraestrutura e tecnologia para a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016, que o Mundial será uma chance para que outros países conheçam melhor o Brasil. “O tema tecnologia da informação, infraestrutura e telecomunicações será um tema chave para demonstrarmos a nossa capacidade de realização da Copa”.

Orlando Silva advertiu que não basta uma boa estrutura de estádios e de rede hoteleira se não houver infraestrutura para dar suporte ao trabalho, sobretudo ao trabalho dos profissionais de mídia na cobertura e transmissão do evento.

Também presente na conferência, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, disse que este é o momento para o país investir em transferência de tecnologia e fortalecer a produção nacional. É o caso, conforme exemplificou, da fabricação de tabletssmartphones no Brasil. Segundo Mercadante, 15 empresas inscreveram-se para fabricar os aparelhos no país, sendo que nove estão praticamente liberadas para a produção.

Segundo o ministro, a venda dos primeiros equipamentos produzidos no país deverá começar em setembro. No primeiro ano de fabricação no país, a produção dos tablets terá 20% de componentes nacionais. Dentro de três anos, o conteúdo nacional deve chegar a 80%. “Somos um grande mercado, mas não queremos ser um mercado importador. Temos que utilizar a condição de mercado que o Brasil representa par atrair investimentos em softwaregames e toda a cadeia de TICs [tecnologia da informação]”, disse Mercadante. Ele acredita que, com incentivos fiscais, seja possível baratear em até 40% o preço final do tablet.

Já para o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que participou do evento, o cenário da área de tecnologia da informação, no Brasil, é promissor. “O Ministério das Comunicações vê a Copa do Mundo e as Olimpíadas como verdadeiros catalisadores das redes de telecomunicações no Brasil”, observou.

Segundo Bernardo, o ministério vai atuar com quatro objetivos principais até a Copa: criar uma rede de telecomunicações de alta intensidade, que poderá ser contratada para servir ao evento; acelerar o Plano Nacional de Banda Larga; qualificar a prestação de serviços de telecomunicação no Brasil; e induzir a economia digital.

Ele disse também que o ministério está tomando as medidas necessárias para implantar a rede de telefonia móvel 4G, tecnologia com velocidade de até 100 megabites, em todas as cidades-sede da Copa, até 2013. Outra iniciativa é a negociação com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para facilitar o acesso ao serviço de roaming para que os turistas estrangeiros possam ativar celulares direto do Brasil.

  • Comentários  

    23/06/2017