SEM SAÍDA, filme de Taylor Lautner, estréia 23 de setembro nos cinemas

Taylor Lautner, mais conhecido como o lobisomem Jacob Black da série de filmes “Crepúsculo”, afastou-se da franquia adolescente para protagonizar seu próprio filme, o suspense “Sem Saída”, em que também é produtor.
O filme estréia nos cinemas nesta sexta-feira, 23 de setembro de 2011, e Lautner interpreta um adolescente que foge depois de descobrir que seus pais não são quem ele acreditava serem, e que sua vida inteira foi uma mentira. Enquanto é perseguido pelo FBI e por assassinos violentos, Nathan deve ir atrás da verdade sobre sua vida.

Taylor Lautner, de 19 anos, concedeu uma entrevista à Reuters para falar sobre seu filme, sua barriga sarada e porque não tem souvenirs dos filmes “Crepúsculo”.

P: Por que você escolheu “Sem Saída” para lançar sua carreira solo?
R: “Eu sabia que seria um desafio fisicamente por causa de todas as cenas de ação. Mas eu sabia que seria difícil mergulhar nesse personagem e me relacionar com as emoções que ele sente durante sua jornada. Assim que Nathan descobre que sua vida inteira é uma mentira, é difícil se identificar com isso.”

P: Como assim?
R: “Se eu descobrisse que minha vida inteira era uma mentira, que meus pais não eram quem diziam ser, onde eu iria? Onde eu começaria a buscar pelas respostas? Em quem eu confiaria? A verdade é que eu não tenho ideia do que faria. O Nathan está foragido, tentando se manter vivo e juntar as peças do quebra-cabeça. Foi difícil.”

P: Qual foi o maior desafio para acertar o personagem
R: “A maior coisa foi simplesmente deixar Jacob Black para trás, que eu interpretei durante os últimos três ou quatro anos, e viver no lugar de Nathan durante três meses.”

P: Você produziu “Sem Saída” com sua empresa Quick Six. O que isso exigiu de você?
R: “Eu me atrelei e atrelei minha produtora ao roteiro. Houve outros produtores também. Nós vendemos (o roteiro) para o Lions Gate e o processo de desenvolvimento começou. É então que começamos a discutir o personagem e a jornada que ele deveria enfrentar e reescrever o roteiro.”

P: Qual foi a importância de participar do processo de produção?
R: “Foi muita sorte porque no momento em que você começa a filmar, você já sente que conhece muito bem o personagem porque você participou do processo de criação dele. Eu tive cinco meses antes de começar as gravações para criar esse personagem todos os dias.

P: Depois de trabalhar com produção, foi diferente trabalhar em “Amanhecer” e ser apenas um ator contratado?
R: “Me familiarizei mais com o ambiente de produção de filmes e isso me fez respeitar mais os produtores, os diretores e todo mundo. Mas a maior coisa foi gravar “Sem Saída” logo antes de “Amanhecer” porque foi um grande desafio para mim como ator.

P: Nos filmes “Crepúsculo”, você passa grande parte de seu tempo sem camisa. Em “Sem Saída”, você tem esse momento também. Em que momento, você dirá que “não farei mais” cenas sem camisa?
R: “No roteiro original de “Sem Saída”, pode ser que tinha quatro ou cinco desses momentos. E eu reduzi para apenas uma cena em que faria mais sentido. Não pode ser sem sentido, como “Ah, está quente lá fora, então vou tirar minha camiseta”. Ou, como em “Lua Nova”, quando Bella se corta e eu digo, “Aqui, deixe eu tirar minha camiseta para ajudar você com isso”.

P: Você guarda objetos de lembrança dos filmes de “Crepúsculo”?
R: “Bem que eu queria. Uma das coisas que eu quero é minha moto no filme, mas não sei se vou conseguir. Mas eles me ofereceram minha peruca, quando eu terminei “Lua Nova”. Eu recusei porque eu odiava aquele negócio. (Risos). Eu deveria ter aceitado, porque provavelmente eu reconheceria o valor mais para frente.

  • Comentários  

    30/04/2017