Montadora chinesa JAC terá fábrica no Brasil

O grupo brasileiro SHC e a montadora chinesa JAC anunciaram nesta segunda-feira investimento de 600 milhões de dólares no Brasil para a construção de uma fábrica no país.

A unidade terá a maior parte dos investimentos vindo do grupo SHC, que afirma ser o maior distribuidor de veículos do Brasil.

A localização e a divisão dos recursos do empreendimento não foram divulgados, mas o empresário Sergio Habib, do SHC, afirmou que a maior parcela dos recursos será brasileira e que o grupo negocia atualmente com dois Estados do país.

Habib comentou que a escolha do local deve ocorrer dentro de quatro a cinco meses e que a construção da fábrica deve começar em 2012. A meta é que o empreendimento seja concluído em 2014.

A unidade produtiva da JAC no Brasil marcará a entrada de Habib na indústria de produção de veículos, depois que o empresário iniciou a distribuição da Citroen no Brasil na década dos anos 1990.

Atualmente, o grupo SHC possui 89 concessionárias no Brasil, das quais 40 são da JAC, número que deve crescer para 200 em 2014.

“O mercado brasileiro vai dobrar nos próximos anos, vai chegar em vendas de 7 milhões de veículos. Portanto, tem muito espaço a ser explorado”, disse Habib, comentando a chegada de uma série de marcas ao país nos últimos anos, entre as quais a também chinesa Chery –que também irá construir uma fábrica no país.

Habib afirmou que espera que a participação de mercado da JAC no Brasil cresça de 1 por cento para 3 por cento em 2013.

Até agora, a JAC tem vendido carros no Brasil por regime de importação da China e, neste ano, a expectativa de investimento apenas em marketing é de 140 milhões de reais, disse ele.

“Quando a gente importa um carro, a gente importa muito ar junto, ocupa muito volume. Vamos perder uma parte da vantagem competitiva que a produção na China possibilita, mas vamos economizar 50 por cento do custo de importação”, disse Habib, afirmando que, atualmente, o frete da China encarece o preço do carro da marca em 15 por cento, sobre os quais há ainda o imposto de importação de 35 por cento.

Habib afirmou que, entre seus planos para a JAC no Brasil, está usar a fábrica também para exportações para Argentina e México. A unidade produtiva vai fabricar uma linha de veículos desenvolvida pelo grupo SHC, disse Habib.

Enquanto a fábrica não fica pronta, a JAC vai lançar no Brasil mais três modelos, que vão do subcompacto J2 à minivan J6. O executivo comentou que o foco do grupo com a fábrica é produzir veículos com preço abaixo de 40 mil reais, um mercado que representa vendas de 2 milhões de unidades por ano.

NOVAS MONTADORAS

Habib, que investiu cerca de 380 milhões de reais no início das vendas da marca JAC no país, afirmou em entrevista à Reuters em março que a instalação de uma fábrica no Brasil só poderia ser discutida a partir do momento em que a montadora registrasse vendas de 100 mil carros por ano.

A JAC começou a vender no Brasil em março, com abertura simultânea de 46 concessionárias e expectativa de chegar a fatia de mercado de cerca de 3 por cento. Até junho, a marca acumula vendas de 8.565 automóveis, uma participação de 0,67 por cento, segundo a associação de concessionárias, Fenabrave.

A rival chinesa Chery lançou em 20 de julho obras para a construção de sua fábrica no país, em investimento de 400 milhões de dólares.

As vendas de veículos no Brasil seguem fortes no ano, acumulando alta de 10 por cento no primeiro semestre sobre o mesmo período de 2010, para o recorde de 1,74 milhão de unidades. O ritmo até junho é duas vezes maior que a expectativa da indústria, de crescimento de 5 por cento em 2011.

Além da JAC e da Chery, uma série de outras montadoras anunciaram novas fábricas e ampliações de suas estruturas produtivas no Brasil, um dos maiores mercados de automóveis do mundo.

  • Comentários  

    18/08/2017