Comércio ilegal de madeira no Pará

Ibama impede o esquentamento de 850 m3 de madeira ilegal no oeste do Pará

O Ibama apreendeu na semana passada duas balsas carregadas com cerca de 850 m3 de madeira em tora (o equivalente a 45 caminhões cheios) no rio Curuatinga, no oeste do Pará. As embarcações, cujo destino final era uma grande madeireira de Belém, foram interceptadas de helicóptero antes da carga receber documentos fraudados que permitiriam que a madeira chegasse ao mercado como se fosse legal. Além de perder as balsas, os responsáveis pelo transporte irregular foram multados em R$ 255 mil.

“O produto florestal receberia guias fraudadas, vindas de um plano de manejo que integra o esquema ilegal de ‘esquentamento’ de madeira na região, tão logo alcançasse o rio Amazonas”, explica o analista ambiental Vinicius Costa, que coordenou a ação. Segundo ele, as toras foram extraídas sem autorização das florestas às margens do Curuatinga, onde não existem planos de manejo em execução que produzam madeira legal.

Os agentes do Ibama flagraram as balsas a 60 km do rio Amazonas, quando fiscalizavam seus afluentes, na região do rio Curuá-una. Um dos objetivos era verificar a movimentação de balsas suspeitas e os portos de estocagem de madeira clandestina nas margens dos rios.

Com o apoio da Policia Militar, as embarcações apreendidas foram escoltadas até Santarém. Toda a madeira será doada à Defesa Civil, após a conclusão dos processos junto ao Ibama, e serão utilizadas em projetos que beneficiem as vítimas das enchentes no oeste do estado.

Ibama

  • Comentários  

    24/05/2017