Vazamento de Petróleo na Bacia de Campos

Ibama avalia as ações de combate ao vazamento

O Ibama está acompanhando de perto as medidas adotadas como resposta a um vazamento de óleo identificado ontem (09/11/2011) na bacia de Campos, no Campo de Frade, operado pela Chevron Brasil. As ações incluem, até o momento, dispersão mecânica, contenção e recolhimento do óleo presente na superfície.

O Plano de emergência da empresa, exigido pelo Ibama como condicionante de licença, foi devidamente acionado. Além de acompanhar a implementação das ações, analistas ambientais do Ibama estão avaliando a extensão e gravidade do incidente.

A informação é de que o vazamento se origina de uma pequena fissura no fundo marinho, próximo a um poço que estava sendo perfurado, nas coordenadas geográficas 21°53’23” S, 39°49’43” W, a cerca de 120 km de distância da costa, a mais de mil metros de profundidade. A atividade de perfuração já foi paralisada e a empresa está adotando as providências para fechamento completo do poço.

Ao licenciar esses empreendimentos, o Ibama estabelece uma previsão de medidas que devem ser adotadas em ocorrências de vazamento de petróleo e gás. Além de implementar as ações urgentes de combate ao vazamento, a empresa responsável deve comunicar imediatamente ao Ibama as ocorrências, o que foi feito prontamente pela Chevron Brasil.

O campo petrolífero e as atividades de perfuração de poços e produção de petróleo estão regularmente licenciadas pelo Ibama (licença de operação n°771/08 e n°845/09).

Ibama

  • Comentários  

    23/09/2017