Operação Labareda no Assentamento Rio Cururuí, no Pará

O Ibama interrompeu na semana passada duas explorações ilegais de madeira dentro do Projeto de Assentamento Rio Cururuí, em Pacajá, no sudeste do Pará. Ao chegar ao local, com apoio de helicóptero e caminhonetes, os agentes já encontraram 266 hectares de florestas destruídos.

Na ação, que faz parte da operação Labareda, dois homens envolvidos nas derrubadas foram multados em R$ 1,3 milhão cada um. Embargadas, as áreas ilegalmente desflorestadas não poderão mais ser usadas em atividades que impeçam a regeneração natural da mata nativa.

Os dois tratores que eram utilizado no crime ambiental também foram apreendidos pelo Ibama. Avaliadas em R$ 380 mil, as máquinas foram retiradas da mata com ajuda de caminhões e seguiram num comboio para o Escritório do órgão em Tucuruí. Com mais de 76,5 mil hectares de floresta nativa amazônica, o Assentamento Rio Cururuí fica numa área rica em madeira e palco de diversos conflitos agrários.

“Além de estar em cima de uma floresta, o projeto fica próximo às serrarias de Tucuruí. Há uma série de irregularidades ambientais ligadas à exploração ilegal madeireira no assentamento que têm sido apuradas pelo Ibama”, explica o coordenador da operação, Leonardo Tomaz.

  • Comentários  

    13/12/2017