O que fazer com o incômodo lixo eletrônico?

O que fazer com o incômodo lixo eletrônico? Em Brasília, Belo Horizonte, São Paulo e no Rio de Janeiro, de 12 a 26 de outubro, o consumidor poderá deixar em estações de metrô produtos eletrônicos que não funcionam mais, para reciclagem ou descarte. O material será reaproveitado ou descartado de forma correta, sem danos para o meio ambiente. O consumidor consciente desocupa espaço, se livra de quinquilharias inúteis e ainda ajuda a evitar problemas com contaminação, que pode resultar da deterioração em gavetas e armários. Esta iniciativa marca o Mês do Consumo Sustentável.

Quem passar pelo metrô nas quatro capitais no sábado (15/10), Dia do Consumidor Consciente, vai poder acompanhar o lançamento simultâneo da iniciativa. Em Brasília, a abertura será feita pelo diretor do Departamento de Ambiente Urbano, Silvano Silvério. Em Belo Horizonte, pela diretora do Departamento de Produção e Consumo Sustentável, Laura Valente. Em São Paulo, pelo secretário executivo Francisco Gaetani; e, no Rio de Janeiro, pela secretária de Articulação Institucional, Samyra Crespo.

A ação é uma parceria entre o Ministério do Meio Ambiente, as Companhias do Metropolitano (Metrô) de São Paulo, Belo Horizonte e Brasília, a concessionária MetrôRio, o Carrefour, a Phillips do Brasil, a Oxil, empresa que atua no mercado de reciclados desde 1988, e a Descarte Certo. A expectativa é recolher pelo menos 50 toneladas de lixo eletrônico. Aquele celular que não funciona mais, a torradeira enguiçada que não vale a pena consertar, os ultrapassados videocassetes, computadores antigos, notebooks pifados e outros eletroportáteis vão direto para a reciclagem.

Coleta – O posto de coleta em São Paulo estará funcionando na estação do Tucuruvi, na Linha 1 Azul. No Rio, na Carioca, no centro; em Belo Horizonte, na Eldorado; e, em Brasília, o consumidor poderá deixar seus produtos eletrônicos na estação Galeria.

Responsabilidade – Outubro foi escolhido pelo MMA como o Mês do Consumo Sustentável, uma oportunidade para que a população se conscientize da importância de dar destinação adequada ao lixo.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, lembra que a participação da população é a base de tudo. “Nós, consumidores, somos parte da cadeia produtiva. Não tem como a gente se eximir da responsabilidade ambiental. A Constituição diz que cuidar do meio ambiente é dever de todos. É o nosso futuro que está em jogo.”

Anualmente são consumidos mais de 120 milhões de eletroeletrônicos no País. Pelo menos 500 milhões de produtos encontram-se sem uso na casa dos brasileiros. Esses produtos contém elementos como mercúrio, chumbo, fósforo e cádmio, que podem contaminar o ar, a água e o solo.

  • Comentários  

    29/06/2017