Ibama desarticula comércio virtual ilegal de madeiras em Rondônia

Com o levantamento de informações sobre as transações comerciais de madeira no sistema DOF – Documento de Origem Florestal, analistas ambientais do Ibama/RO identificaram algumas empresas rondonienses recebendo cargas de madeira de outros estados da Federação, como Pernambuco, Paraíba, Maranhão, Piauí, Goiás, entre outros. As equipes em campo constataram que muitas empresas receptoras eram fantasmas ou estavam com suas atividades paralisadas há meses, confirmando que as transações foram apenas virtuais.

Foram fiscalizadas sete indústrias madeireiras e dois comércios, dos quais apenas três estavam em pleno funcionamento. Ao todo, foram lavrados 14 autos de infração, que totalizaram cerca de R$ 3 milhões em multas, além de três empresas embargadas e sete que terão seus cadastros cancelados.

As empresas emissoras dos DOFs serão autuadas e inspecionadas, podendo, inclusive, ter suas atividades suspensas ou canceladas. Com a ação, evitou-se que mais de quatro mil metros de madeiras “virtuais” fossem utilizados para legalizar produtos florestais ilegalmente, oriundos de áreas não autorizadas para exploração, como unidades de conservação e terras indígenas.

Já foi solicitada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Ambiental (SEDAM) a adoção de medidas urgentes para bloqueio de créditos oriundos de outros estados como forma de impedir a prática do crime constatado. Todas as transações virtuais de madeira são monitoradas por diversos órgãos de controle e policiais, sendo que os crimes identificados serão coibidos e seus praticantes punidos severamente.

O incremento do uso da tecnologia de informática na prática do crime ambiental leva também ao aumento da utilização dos serviços de inteligência do Ibama e a Superintendência de Rondônia encontra-se preparada para coibir este tipo de ilícito, segundo o seu superintendente, César Luiz Guimarães: “Contamos com uma equipe plenamente capacitada e estamos dispostos a cumprir nossa missão institucional com toda a firmeza necessária”.

  • Comentários  

    25/05/2017